Drosophyllum lusitanicum: drósera carnívora portuguesa

Drosophyllum lusitanicum ou a drósera portuguesa é uma planta carnívora que ocorre na Espanha, Marrocos e Portugal. A planta possui hastes verdes gramadas cobertas com gotas adesivas transparentes. Com estas gotas, a drósera portuguesa atrai insetos que não se soltarão mais dos caules pegajosos. As tentativas de liberar os insetos só ficam presas. Através do movimento do inseto, a planta também sabe que um inseto foi capturado e, então, a digestão do inseto começa.

Regue o drosophyllum lusitanicum

A maioria das plantas carnívoras cresce em áreas úmidas e pantanosas e, portanto, deseja estar em solo úmido constante. No entanto, a sundew portuguesa cresce em áreas quentes em solo arenoso ao longo da costa. O drosophyllum lusitanicum, portanto, precisa de muito menos água do que outras plantas carnívoras. Água somente quando o solo na panela estiver completamente seco. Verifique não apenas a camada superior do solo, mas também a profundidade da panela. Permitir que o solo seque entre as regas evita a podridão das raízes. Se a seca for muito longa, a planta ficará suspensa frouxamente e é importante regar rapidamente. Nos meses de inverno, a drósera portuguesa pode receber ainda menos água do que no verão. No inverno, a planta usa menos água e há uma chance de que a planta se molde e apodreça. Não use água da torneira, pois contém uma grande quantidade de limão e minerais. Use água da chuva em vez de água da torneira ou use água desmineralizada. Essa água pode ser comprada em garrafas na maioria dos supermercados.

Localização carnívora portuguesa sundew

Coloque o drosophyllum lusitanicum na área com mais sol. A planta precisa de sol pleno por algumas horas por dia. Na casa, isso significa uma janela voltada para o sul. A planta também pode ficar do lado de fora, mas deve ser protegida contra geadas e muita chuva. Escolha também o lugar com mais sol lá fora. As plantas carnívoras não podem repot muito bem, porque são muito frágeis. Portanto, coloque a planta em uma panela grande para não precisar movê-la pelo resto da vida. Como a podridão radicular é muito comum no drosophyllum lusitanicum, é aconselhável tomar um pote de terracota. A água evapora mais rápido aqui do que em vasos de plástico. Verifique se há um orifício no fundo da panela para que o excesso de água não permaneça no fundo. A drósera portuguesa cresce naturalmente nas áreas costeiras. O chão é arenoso e arejado. Portanto, certamente não use terra para vasos, mas uma mistura de areia, turfa e um pouco de perlita para reter a umidade e tornar o solo mais leve. Cuidado com a areia com muitos fertilizantes e nutrientes adicionados. O drosophyllum lusitanicum cresce em solo árido e não precisa de nenhum alimento ou fertilizante.

Alimentando o Drosophyllum lusitanicum

Tudo o que a drósera portuguesa precisa para alimentar a planta passa pelos insetos capturados. As raízes da planta absorvem apenas a água do solo. Se a planta estiver dentro de casa, não serão capturados muitos insetos. Um pequeno inseto pode ser jogado contra a planta uma vez por mês. Insetos grandes apodrecem, porque a digestão leva muito tempo. Se o inseto não resistir, a planta não perceberá que algo foi capturado e a digestão não ocorrerá. Portanto, alimente apenas insetos vivos à sua drósera portuguesa. A planta não precisa de insetos nos meses de inverno.

Deixe O Seu Comentário